TRF4 nega demolição de construções no Balneário Cassino

A 3ª Turma do Tribunal Região Federal da 4ª Região rejeitou na última semana, por unanimidade, apelação do Ministério Público Federal (MPF) que exigia a destruição de casas localizadas próximas ao sistema de dunas costeiras no Balneário Cassino, em Rio Grande (RS).

De acordo com o MPF, as moradias foram construídas em área de dunas, de preservação permanente, resultando em dano ambiental na área. O MPF ingressou com ação civil pública exigindo a cessão de construções no local, além da demolição das moradias já existentes.

Apoiado por um laudo pericial, o relator do processo, o desembargador federal Fernando Quadros da Silva, negou o pedido. “Considerando que as ocupações no local, em sua grande maioria, datam da década de 1990, não há liame de causalidade entre essas construções e a redução do campo de dunas, que se mostra decorrente da natural transformação do meio ambiente”, afirmou o magistrado. Ainda de acordo com o desembargador, a demolição das obras não surtiria benefício algum ao meio ambiente.

Porém, o voto confirmou a decisão de proibir construções de acesso do lote à praia, de modo a minimizar danos às dunas. A multa determinada é de R$ 10 mil por acesso aberto.

Fonte: http://www.ambito-juridico.com.br/

Picture of Ondaweb Criação de sites

Ondaweb Criação de sites

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Cadastra-se para
receber nossa newsletter