Drogas apreendidas na saída de presídio causam nova condenação de preso

A 2ª Câmara Criminal manteve condenação a um casal por tráfico de drogas. O homem foi condenado a pena privativa de liberdade de sete anos, e sua parceira, a um ano e 11 meses. O fato é inusitado pelo fato de o flagrante, em agosto de 2013, ter sido feito quando a mulher saía de visita íntima ao companheiro, no Presídio Regional de Joinville. O detector de metal registrou irregularidade e, após revista feita na companheira, verificou-se que ela trazia 60,8 gramas de maconha, em 21 buchas prontas para comercialização, escondidas no sutiã.

A mulher alegou que não sabia do conteúdo dos pacotes, apenas os escondera, e seu companheiro afirmou que não eram para tráfico e sim para consumo, tendo sido entregues à mulher por medo de ser descoberto e perder o direito ao trabalho interno. O relator, desembargador substituto Volnei Celso Tomazini, não considerou suficientes as justificativas.

“Não há falar-se em insuficiência de provas, tampouco em desclassificação do crime de tráfico de entorpecentes para o delito de porte, quando presentes nos autos elementos aptos a demonstrar, de forma inequívoca, a materialidade e autoria daquele, tais como a confissão extrajudicial do réu, aliada ao depoimento dos policiais militares condutores”, concluiu o magistrado (Apelação Criminal n. 2014.008563-0).

Fonte: http://portal.tjsc.jus.br/

Picture of Ondaweb Criação de sites

Ondaweb Criação de sites

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Cadastra-se para
receber nossa newsletter