TJ condena pessoas que arrombaram sepultura

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) condenou L.R.D. e seu comparsa E.R.J. a um ano e seis meses de prisão, no regime semiaberto, por eles terem violado um jazigo para roubar dentes de ouro. A decisão modificou sentença do juiz Adelmo Bragança de Queiroz, da comarca de Guapé, que havia sentenciado os dois lavradores ao mesmo período de detenção em regime fechado.

O Ministério Público ofereceu denúncia em 2010. Consta na peça processual que os acusados, em 29 de outubro de 2006, pularam o muro do cemitério municipal e arrombaram a sepultura de J.B.D., um tio de L. morto há vários anos, para furtar sete dentes de ouro, que posteriormente foram vendidos a terceiros. A promotoria fundamentou-se em boletim de ocorrência, prova testemunhal e em um registro fotográfico que mostra o túmulo aberto e alguns restos mortais espalhados pelo local.

Os réus solicitaram a absolvição por ausência de provas, mas o juiz Adelmo Queiroz considerou que havia provas da autoria e da materialidade do crime. O magistrado condenou a dupla à reclusão em regime fechado devido ao fato de eles serem reincidentes. A defesa recorreu ao Tribunal, com o objetivo de contestar as testemunhas que prestaram depoimento e requerer a mudança no regime inicial.

O relator, desembargador Corrêa Camargo, destacou em seu voto: “Não há dúvidas de que ocorrera a violação da sepultura, para se proceder à subtração dos dentes de ouro do cadáver. De igual modo, deve ser pontuado que apenas alguém do convívio do falecido é que saberia da existência dos dentes de ouro”. Contudo, ele entendeu que os lavradores tinham direito ao benefício do semiaberto. Os desembargadores Amauri Pinto Ferreira e Valéria da Silva Rodrigues votaram de acordo com o relator.

Fonte: TJMG

Picture of Ondaweb Criação de sites

Ondaweb Criação de sites

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Cadastra-se para
receber nossa newsletter