Praticamente sem chuvas, nível do Sistema Cantareira continua caindo

O nível do Sistema Cantareira continua a cair. Hoje (14), os reservatórios registravam 4,5% da capacidade. O manancial abastece 6,5 milhões de pessoas. Segundo a Companhia de Saneamento e Abastecimento do Estado de São Paulo (Sabesp), neste mês choveu 0,4 milímetro (mm) na região do sistema. A média histórica para o período é 130,8 (mm).

Ontem, a Sabesp anunciou a redução do volume retirado dos reservatórios. O novo plano de retirada de água do Cantareira foi enviado para a Agência Nacional de Águas na última sexta-feira (10), no mesmo dia em que a 3ª Vara Federal de Piracicaba expediu liminar proibindo a captação de água da segunda parte do volume morto dos reservatórios Jaguari, Jacareí e Atibainha, abaixo da cota de 815 metros e 777 metros.

O objetivo da decisão judicial é garantir que o consumo da primeira parte da reserva técnica não se esgote antes de 30 de novembro e que não haja prejuízos às vazões para a bacia hidrográfica dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

“A proposta da Sabesp é reduzir imediatamente a retirada de 19,7 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 19 m³/s e, em seguida, a partir de novembro, para 18,5 m³/s. Antes da atual crise hídrica, a Sabesp retirava 31 m³/s do sistema [Cantareira] para atender aos consumidores da região metropolitana de São Paulo”, explica o comunicado da companhia.

O Sistema Alto Tietê, responsável pelo abastecimento da zona leste da Grande São Paulo, também tem apresentado queda nos níveis de água. Hoje, os reservatórios tinham 10,1% da capacidade. De acordo com a Sabesp, a média de chuvas na região do manancial para as primeiras duas semanas de outubro é 117,1 (mm). Até o momento, as precipitações somaram 7,2 (mm).

Em Itu, cidade distante 75 quilômetros da capital paulista, a crise no fornecimento de água, iniciada em fevereiro, tem provocado protestos. Na noite de ontem, moradores do bairro Cidade Nova bloquearam as rodovias Waldomiro Corrêa de Camargo (SP-79) e Santos Dumont (SP-75). O protesto durou quase 6 horas (17h às 23h). Pela manhã, ainda se via restos dos pneus e entulhos queimados das barricadas.

A cidade de Itu abrange seis bacias hidrográficas e tem sete pontos de captação. No total, são sete mananciais, que nascem e morrem no próprio município. Nenhum rio intermunicipal cruza a cidade. Por isso, a prefeitura espera que a obra do Ribeirão Mombaça, a 22 quilômetros de Itu, que nasce em São Roque nos limites com Araçariguama, possa resolver em parte do problema do abastecimento.

Fonte: http://www.onortao.com.br/

Picture of Ondaweb Criação de sites

Ondaweb Criação de sites

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Cadastra-se para
receber nossa newsletter