Notícias

Corretor acusado de estelionato em Passo Fundo usará tornozeleira eletrônica

A juíza da 1ª Vara Criminal de Passo Fundo, Lisiane Marques Pires Sasso, estabeleceu uma série de medidas cautelares a serem cumpridas por corretor que responde a processo criminal em Passo Fundo, entre elas, o uso de tornozeleira eletrônica. Anderson de Azevedo Salomão , o réu, é dono de imobiliária em Passo Fundo e responde por estelionato juntamente com outros quatro réus. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP), o golpe milionário aplicado consistia em vender imóveis sem repassar o dinheiro aos proprietários.

O MP efetuou pedido de prisão preventiva do réu.

A magistrada analisou não estarem presentes os requisitos legais autorizadores do decreto prisional. Considerou também que o réu vem cumprindo com todas as medidas cautelares já estabelecidas anteriormente. No novo expediente, foram estendidas as medidas cautelares já fixadas em outros processos aos quais Anderson responde, que vão desde o comparecimento semanal em juízo, proibição de contato com as vítimas e recolhimento domiciliar à noite, a partir das 20h.

A juíza ainda frisou que, diante das peculiaridades do caso, está proibido que o acusado saia da circunscrição da comarca, devendo ser monitorado com o uso de tornozeleira eletrônica, já disponibilizada pela Secretaria de Segurança Pública, através de Superintendência de Serviços Penitenciários.

Fonte: TJRS

Comente

Comentários

  • (will not be published)

Comente e compartilhe